O PLANTIO DE BAMBUS NA ECONOMIA MUNDIAL E BRASILEIRA

O bambu é uma planta que oferece muitas vantagens econômicas:

1. RÁPIDO CRESCIMENTO
A velocidade de propagação de uma plantação de bambu, após estabelecida, é muito grande. O tempo de estabelecimento de uma plantação varia de cinco a sete anos, e o amadurecimento de um bambu acontece em três a quatro anos, mais rápido que a mais rápida árvore. A partir do terceiro ou quarto ano já se pode coletar colmos e brotos. A média de produção de biomassa num bambual é de 10 toneladas por hectare por ano. O bambu pode substituir a madeira em diversas aplicações, e com isso diminuir o impacto ambiental através da deflorestação.

2. FACILIDADE DE ESTABELECIMENTO, MANUTENÇÃO E COLHEITA
O bambu não exige técnicas complexas para o seu estabelecimento como plantação. A manutenção é feita através de irrigação, e não é necessária a aplicação de produtos agrotóxicos. A colheita fortalece o bambual e é feita com instrumentos manuais. O transporte é facilitado pelo seu peso leve em comparação às madeiras.

3. UTILIDADES ADAPTÁVEIS
O bambu pode ser utilizado como substituto agronômico em áreas marginais, para otimizar produções que recebem mais atenção do mercado externo, como o café. Seus variados potenciais industriais tornam o bambu um produto dinâmico, que pode ser alocado para um uso adequado ao momento. Pode ser usado como combustível, papel, material de construção, alimento, etc...

4. FINS ECOLÓGICOS
O bambu é um material responsável ecologicamente (ecologizante), pois sozinho ajuda na renovação do ar e substitui a madeira em diversos aspectos.

5. INSERÇÃO CULTURAL
O bambu já é um material muito explorado na Ásia, movimentando uma economia de sete bilhões de dólares americanos por ano. Cerca de um bilhão de pessoas moram em casas de bambu no mundo. Culturas utilizam o bambu em muitos aspectos da vida, música, cerimônias, alimentação, etc...

 

O bambu é encarado como uma forma de desenvolvimento econômico por muitos países. No Nepal e nas Filipinas existem grandes projetos de florestamento de bambu, para estimular a economia local e produzir papel, comida e habitações. A China e a Índia têm grandes plantações há muitos séculos e continuam a florestar. O Havaí está tentando desenvolver um projeto de florestamento de bambu para empregar uma população desempregada com a decadência da economia do açúcar. A Colômbia, O Equador e a Costa Rica desenvolvem projetos nacionais de bambu, com florestamento e desenvolvimento de uma cultura de habitações populares de bambu, para substituir o uso da madeira.

 

HORTOS E NURSERYS

Espalhados pelo mundo encontram-se muitos hortos especializados em bambu, onde podem-se encontrar várias espécies. Geralmente os espécimes são vendidos para fins de coleção, jardinagem e paisagismo. Neste caso são procuradas as espécies mais belas, exóticas ou adaptadas ao clima. No Brasil existem poucos hortos especializados, mas muitos que lidam com o bambu. Principalmente em São Paulo, onde muitos cultivadores descendentes de japoneses passam a tradição do bambu adiante. Existem atualmente diversos estudos sobre a propagação do bambu in vitro, sendo produzidos propágulos aos milhares. Tais estudos são essenciais para o estabelecimento de empreendimentos industriais que utilizem o bambu como matéria prima. Procure na área de links na seção hortos e nurserys para ter acesso aos sites de diversos cultivadores.


paginas     1 I 2 I 3 I 4 I 5 I 6 I 7 I 8  

Info I Grupo I Produtos


Conteúdo desenvolvido: Raphael Moras de Vasconcellos- Rio de Janeiro / BRASIL
contato:
produzido por : COMDESIGN